Voddie é pastor na Grace Family Baptist Church, em Spring, Texas (EUA) e também atua como professor de teologia na Universidade Cristã Africana em Lusaka, Zâmbia.

A busca pela justiça social pode facilmente afastar um cristão dos ensinamentos bíblicos, pois a ideia de entronizar valores filosóficos ou ideológicos na rotina da Igreja transmite a mensagem de que a mensagem do Evangelho é incompleta. Esse raciocínio foi desenvolvido pelo teólogo e pastor Voddie Baucham Jr numa entrevista recente.

Ele frisou que os líderes dos movimentos que, supostamente, pregam a justiça social, agem como se estivessem à frente de “uma religião”: “Jim Wallis escreveu um livro, e o título de seu livro era Pecado Original da América [Racismo, Privilégio Branco e a Ponte para uma Nova América]. Então, novamente, há conotações religiosas por lá”, exemplificou, referindo-se ao escritor, teólogo e ativista político de esquerda.

“O que me preocupa é que existem problemas reais. O racismo é real. Existe um verdadeiro mal. Existe um verdadeiro ódio. Existe uma verdadeira injustiça. E a resposta para essas coisas é um Deus que salva, através de Jesus Cristo. Essa é a nossa mensagem como cristãos, certo? Ou pelo menos deveria ser”, disse.

O teólogo continuou seu raciocínio apontando que muitos cristãos têm se perdido na procura por respostas fora da Bíblia: “A resposta não é outra senão o perdão que encontramos, através de Deus, em Cristo. Justiça social não é o mesmo que a ideia bíblica e o conceito bíblico de justiça. Você também precisa entender que a justiça social é construída com base na teoria crítica. Ela se baseia na ideia de hegemonia e estruturas de poder”.

Ele acredita que os cristãos devem abrir mão de mensagens que apontam para uma salvação que não seja o Evangelho de Jesus, e que estas bandeiras “precisam ser confrontadas” porque “essas ideologias realmente comprometem nossa mensagem, como cristãos”.

Fonte: Gospel+