contato@redevertical.com

47.3025.3399

47.99995.0021

DEUS NÃO ESTÁ MORTO DIA 30 NOS CINEMAS

DEUS NÃO ESTÁ MORTO DIA 30 NOS CINEMAS

 

Deus Não Está Morto: Uma Luz na Escuridão

Sobre o filme

Uma igreja destruída. Uma congregação silenciada. Uma relação estilhaçada. Ainda assim, nos vales mais sombrios da vida, uma pequena chama pode iluminar o caminho para a cura e esperança. Essa é a trama e a promessa de DEUS NÃO ESTÁ MORTO: UMA LUZ NA ESCURIDÃO.

Quando um fogo mortal engole a Igreja de Saint James, devastando a congregação e o Reverendo Dave (David A. R. White), a universidade vizinha Hadleigh University usa a tragédia para tentar despejar a igreja do campus. A batalha logo se levanta entre a igreja e a comunidade, o Reverendo Dave contra seu amigo de longa data Thomas Ellsworth (Ted McGinley), o presidente da universidade, envolvendo também a estudante Keaton (Samantha Boscarino), membro do ministério da igreja, questionando sua fé cristã.

Sofrendo um processo e sua própria luta para ver a luz de Cristo em seu coração quebrantado, Davi pede ajuda de seu irmão Pearce (John Corbett), um advogado figurão que se tornou ateu, para lutar pela reconstrução da igreja de seu irmão. A reunião familiar reabre velhas feridas, enquanto os irmãos discutem as mesmas questões que os separaram anos atrás: Deus realmente é bom o tempo todo? Onde está Deus quando coisas ruins acontecem? Pode Cristo realmente curar os corações quebrantados? Mesmo lidando com essas questões pessoais, Dave deve encarar outro dilema, pedindo ajuda ao seu protegido Josh Wheaton (Shane Harper) para sabedoria para responder a difícil questão diante dele: Poderiam os cristãos lutar por seus direitos e ainda serem um exemplo de amor perante Cristo ao mesmo tempo?

Você vai se apaixonar por este filme!

É UM FILME POR SI SÓ

Criar um filme que captura a essência que fez os primeiros filmes Deus não está Morto ressoar com o público mas ainda assim criar chão para si mesmo foi o alvo para os produtores desde o começo. A produtora Brittany Yost diz que ela e seus colegas “lutaram muito” com a história e seus temas.

“Acabamos nos desafiando ao olhar para os problemas atuais. E chegamos em uma história muito pessoal, que olha para problemas muito pessoais”, ela diz. “Os fãs de Deus não está Morto vão ficar muito empolgados com esse filme. É um approach totalmente diferente do que tivemos no passado”.

Esse approach inclui mais ação que antes, e algumas reviravoltas que vão deixar queixos caídos, de acordo com Benjamin Onyango, que repete seu papel como reverendo Jude.

“As pessoas ficarão chocadas com certas coisas que acontecem no filme”, ele diz. “Mas a mensagem ainda é a mesma. Por isso que se chama UMA LUZ NA ESCURIDÃO – é uma

mensagem que espalha a verdade de Deus e ilumina as pessoas e diz que há um caminho melhor a seguir que irá levar a um lugar melhor”.

Jennifer Taylor, que interpreta Meg, o interesse amoroso do reverendo Dave, se impressiona com o filme DEUS NÃO ESTÁ MORTO: UMA LUZ NA ESCURIDÃO pois “não cai no lugar comum de filmes baseados na fé, que só jogam para a torcida”.

“Você tem um público que quer ver conteúdo para afirmar a fé, e eu acho isso ótimo. Mas, se você está tentando alcançar um público maior, você tem que se abrir um pouco”, explica Taylor. “esse filme faz isso. Não importa qual sua fé, você pode assistir esse filme e pensar ‘é, nunca tinha pensado nisso’. De ambos os lados. Qualquer lado. Esse filme realmente preenche uma lacuna entre cristãos e não-cristãos. Irá trazer um pouco mais de entendimento para ambos os lados. Um pouco mais de cura”.

“Estamos chamando a igreja, e aquelas pessoas que foram magoadas pela igreja, para se curar e se reconstruir”, diz Shane Harper, que estrela como Josh Wheaton. “Por que, francamente, se não o fizermos, se ficarmos presos à tensão e não temos uma resolução graciosa, as coisas só vão ficar mais contenciosas e sombrias. Acredito que o foco é mais na unidade e menos na divisão. Será revigorante para muitas pessoas ver como resolvemos isso”.

Para White, que é um dos produtores do filme, além de uma das estrelas, esse filme é uma mistura perfeita do passado e do presente, oferecendo esperança para o futuro.

“O que os filmes Deus não está Morto tratam é pegar essas questões que estão sendo feitas não só por pessoas de fé mas pelas pessoas em todos os lugares, e mostrando como elas são relacionadas à nossa existência e as respondendo de maneira honesta e inspiradora”, ele diz. “Esse filme é tão relevante hoje quanto os outros eram na época de seu lançamento, por que não importa de qual lado você está, eles trouxeram questões importantes à tona e abre um diálogo.